24 out | 2017

O bullying justifica o crime? Os culpados são os pais?

Começo esse post dizendo que tratarei de um assunto polêmico. Quero ouvir a opinião de todos, gosto de argumentos que rebatam os meus e que me façam refletir sobre o assunto, desde que abordados com educação. Por favor, aceitem e respeitem as diferentes perspectivas sobre o caso.

Arma no chão - Bullying - Mami Jornalista

Foto Reprodução: Jens Lelie – Unplash

Na sexta feira passada, dia 20, um menino de 14 anos matou dois alunos e deixou mais quatro feridos em uma escola em Goiânia.

Quantos outros casos semelhantes acontecem e a gente não fica sabendo? Quantos adolescentes levam para sala de aula objetos com a intenção de cometer um crime mas não realizam o ato? Quantos alunos arquitetam ou imaginam planos de vingança, de ódio, de rancor durante anos? E quantas crianças sofrem com o Bullying diariamente pelos “colegas” de classe?


A TRAGÉDIA DE GOIÂNIA

 

Os colegas de classe do adolescente que efetuou os disparos afirmaram que o menino sofria humilhações constantes na sala de aula. Era frequentemente chamado de “fedorendo”. Um dos meninos que foram mortos chegou a levar um desodorante para a sala de aula. De acordo com depoimentos, o assassino era vítima de bullying.

O próprio menino afirmou que planejou o ato por dois meses, se inspirando nos massacres de Columbine, que ocorreu em 1999 nos Estados Unidos (deixando 12 alunos e um professor mortos) e no Massacre de Realengo, em 2011 no Rio de Janeiro (deixando 12 crianças mortas).

A mãe de um dos meninos que faleceu, culpou também os pais do adolescente, ambos policiais, em uma entrevista para o G1: “Nada justifica, o menino era amigo de escola dele, se torna ainda mais difícil. Não é revolta, é indignação. Os pais são tão ou mais culpados do que ele. A situação foi propícia, tinha uma arma ao alcance dele, ele sabia manusear a arma, não matou meu filho sozinho”.


O BULLYING COMO JUSTIFICATIVA

 

É motivo suficiente para ele ter feito isso? Ele está com a razão? De jeito algum, ninguém possui o direito de tirar  a vida de alguém, seja qual for o motivo. Não dá para dizer que o bullying é o causador do assassinato. Mas eu ouso dizer que o bullying é o causador do ódio que levou o garoto a cometer o crime. Óbvio que ser ofendido ou humilhado também não justifica uma pessoa se revoltar, ele cometeu um ato grave sim e vai responder judicialmente por eles. Mas não anula o fato de que a prática do bullying também é crime.

Gosto de enfatizar bem sobre o que eu estou falando, para que não haja má interpretações ou duplo sentido. Eu não estou defendendo o menino, apenas alegando que, anteriormente, ele também foi uma vítima. Só que, infelizmente, vítima de algo que as pessoas não levam a sério.

E aí aparecem os argumentos: “se todos que sofressem bullying fizessem isso, o mundo estaria perdido” ou então “tanta gente sofre bullying e não faz nada disso”. Eu concordo que sofrer bullying não leva a pessoa a se tornar má, e realmente, muitas pessoas lidam com isso todos os dias, silenciosamente. Concordo que para chegar a esse ponto, outros fatores influenciaram, designaram e traçaram um perfil para esse menino. Mas novamente, isso não anula o fato de o bullying ser um crime.

Lembrando que estou falando aqui sobre o bullying infantil, e este é muito diferente dos casos com adultos. Algumas pessoas se aproveitam de situações alegando bullying para fins lucrativos, com processos. Já a criança, ela pode ficar ofendida de verdade, e neste caso, ela não vai recorrer ao juiz. Os únicos adultos que podem ajudar ali são seus pais (ou professores, cuidadores, detentores da guarda). Muitas vezes ela não toca no assunto abertamente, mas pode apresentar alguns sinais.

NÃO IGNOREM ESSES SINAIS

 

Bullying - Mami Jornalista

Foto Reprodução: Unsplash

E os pais são os culpados pela sedimentação do Bullying?

 

Oi? Me desculpem mas eu não consegui deixar isso passar em branco. Enquanto eu escrevia esse post, me deparei com um argumento de uma página no Facebook (prefiro não citar) que acusavam os pais das crianças vítimas de bullying. Culpando-os por não terem criados jovens com capacidade de lidar com as frustrações da vida.

Pais, a culpa não é de vocês por terem criado um filho “frágil e sensível”, isso sequer é um problema. Você não criou uma “vítima fácil para o bullying”, você não tem culpa por seu filho chorar por ter sido xingado ou humilhado na escola. Você é culpado se você não estiver ao lado dele se um dia isso acontecer, se você ignorar o fato do seu filho estar sofrendo acusações maldosas, se você não tratá-lo com respeito e não ajudá-lo a entender que a culpa também não é dele.

De fato, precisamos preparar nossos filhos para uma vida difícil e muitas vezes injustas, mas não crie seu filho com o pensamento de que as coisas injustas são normais. Tudo bem ele pedir sua ajuda, tudo bem ele ficar triste por receber um apelido horrível na escola, afinal, estamos falando de seres humanos, não de robôs.


LEIA TAMBÉM: Depoimento de meninas que sofreram bullying na infância