6 out | 2017

Sobre a minha vontade de (talvez) optar pelo parto normal no futuro

Mami Jornalista carol nakamura parto

Nascimento da Dani – Arquivo pessoal Carol Nakamura

Alguns dias atrás, em momentos aleatórios, me peguei pensando sobre o meu parto. A cesárea sempre foi a minha escolha, mas e se eu tivesse optado pelo parto normal, será que teria dado certo? Eu teria sentido dor? A Dani nasceria perfeitinha assim como nasceu? Felizmente, tudo ocorreu bem no meu parto, para mim e para a Dani. Ela nasceu enorme, saudável e minha recuperação foi extremamente rápida. Escolheria a cesárea de novo baseada na minha primeira experiência? Com certeza! Foi muito menos doloroso e mais fácil do que eu imaginava.

Parto normal nunca nem chegou perto de ser uma opção. Eu posso ter cogitado durante míseros segundos a talvez possibilidade, mas isso passava rapidinho. A questão é que quando alguém muito próximo tem uma história não tão boa para contar, a gente toma aquelas dores e cria uma certa aversão, digamos assim.

Eu nasci de parto normal e não foi tão fácil para a minha mãe, principalmente pelas complicações no pós parto. Isso me deixava com medo, muito medo. Por que eu iria correr o risco de passar pelo mesmo processo? Sentir as mesmas dores? Essa era a minha visão. Parto normal = dor.

Só que, esses dias eu andei vendo umas fotos e lendo umas reportagens sobre o parto humanizado, na banheira, com doulas. Pra quem não sabe, doulas são mulheres profissionais que auxiliam a gestante, não só no trabalho de parto, mas em todo o período gestacional. Elas dão o suporte físico e mental que a mamãe precisa. E alguns depoimentos mudaram um pouco meu pensamento sobre parto normal. De repente me deu uma vontade de ter experimentado, de ter pesquisado um pouco mais antes de ter escolhido a cesárea de cara.

Já me disseram que após uma cesárea, é recomendado que os próximos partos sejam também cesáreas, devido à cicatriz deixada no útero, muito mais frágil que a cicatriz do tecido íntegro. Em uma reportagem da revista Crescer, o obstetra e ginecologista Alexandre Pupo Nogueira afirmou que existe sim um risco, apesar desse risco ser menor em mulheres que tiveram apenas uma cesárea. Nas palavras do médico: “A partir de duas cesáreas, ou seja, dois cortes no útero, o risco de acontecer uma ruptura da cicatriz durante o parto aumenta significativamente, o que pode levar a situações extremamente graves para a mãe e para o bebê“. Além de ser recomendado esperar pelo menos dois anos após a cesárea, depende também da saúde da mulher e do histórico do parto anterior.

Concordo que naquela época, a escolha da cesárea foi a melhor a ser tomada. Eu realmente tinha medo, e esse medo + ansiedade me fariam sofrer bastante durante o parto. Talvez, se eu tivesse escolhido ser acompanhada por uma doula, esse medo do parto normal teria sumido logo de cara. Ou não.

Enfim, não me arrependo da minha decisão. Mas quem sabe um dia eu aposte nessa nova experiência.

 

Minha dica é: pesquisem sobre os partos, mamães! Mas pesquisem além de parto normal tradicional e cesárea, hoje em dia existem muitas maneiras de ganhar um bebê com segurança, saúde e acompanhamento profissional. Conversem com quem já vivenciou, procure depoimentos prós e contras. E o mais importante: não leve só em conta o que você quer, suas ideologias e o que você sempre sonhou. Tenha como primeiro plano a sua saúde e de seu bebê. <3

Aa, e eu quero saber de vocês! Me conta como foi seu parto, por que escolheu, compartilha comigo sua experiência! Pode deixar um comentário ou mandar seu relato para contato@mamijornalista.com.br, vou ler com todo carinho e adorar sua participação.